Água

Olá meus queridos alunos! Hoje estudaremos a água. Boa aula.
Água
 Galera! A água é a substância mais abundante dentro e fora do corpo dos seres vivos. O surgimento e a manutenção da vida tem muito haver com a água. Agora vamos analisar algumas características e importância da água. Galera! Nessa aula não falarei dos estados físicos da água. Porque ela já foi explicada numa aula sobre os estados físicos da matéria nesse blog. Acesse e confira. 
Água
 A aguá tem uma mega importância na manutenção da vida no planeta Terra. Muita atividades de seres vivos depende da água. O nosso próprio corpo é formado entre 60 a 75% de água corporal. Um embrião humano tem cerca de 90% de água corporal. Agora observe a quantidade de água no planeta Terra:
Água
Observe o quadro e analise a importância da água. E sua quantidade disponível em alguns  órgãos do nosso corpo.
Água


Galerinha! Observaram. Não deixem de beber água. Esses são alguns benefícios da água entre outras mais. Agora vamos estudar a fórmula molecular da água e suas características.
Fórmula molecular da água.
A fórmula molecular da água é constituída por dois átomos de hidrogênio (H) e um átomo de oxigênio (O), conforme o esquema abaixo.Água

Modelo molecular da água.
Galera! O modelo molecular da água é representado por esse desenho abaixo. Galerinha, observe que os átomos de hidrogênio em azul é de carga positiva. E o oxigênio em vermelho é negativo. Então dizemos que a água é uma substância polar por que  tem zona positiva e zona negativa. 
Observe o quadro:
Água

Água
 Muito fácil né galerinha. Agora vamos analisar outras características.
                                                   Pontes de Hidrogênio.
A água realiza ligações químicas com outras moléculas de água, por causa da atração entre cargas elétricas opostas.
Observe o esquema:
Galera! O oxigênio negativo liga-se com o hidrogênio positivo formando a ponte de hidrogênio.
O hidrogênio positivo liga- se ao oxigênio negativo  formando a ponte de hidrogênio e assim por diante conforme o desenho abaixo.

Água
 Galera! Outro esquema abaixo mostrando a ligação entre o oxigênio (-)e o hidrogênio (+) que são cargas opostas. A forte atração entre as moléculas d' água é chamada de coesão.
Coesão é a forte atração entre as moléculas d' água. 
Água
Tensão superficial.

 A coesão entre as moléculas d' água é responsável pela tensão superficial da água. E por causa dessa propriedade os insetos conseguem andar e pousar sobre a água. observe o desenho abaixo.
Imagem real de um inseto pousado n' água.
Água
 Imagem real de uma libélula pousada n' água.
Água
 Imagem real de uma aranha pousada n' água.
Água
 Observe a explicação do quadro abaixo.
Água
 Galera! Observaram. Além de conseguirem pousar n' água, os animais conseguem até correr sobre a água. Observe esses lagarto correndo sobre a água. Incrível.
Água
 Que imagens mais lindas.
Água
 Uma outra propriedade da água é o poder que ela tem de associar- se a outras substâncias polares e conseguir dissolve- la. Observe o quadro.
Galerinha! Á água é considerada um solvente universal. No esquema abaixo temo um copo com água que é um solvente. E nesse copo é colocado um soluto, por exemplo um açúcar.
 O solvente água dissolve o soluto açúcar, formando uma solução.

Água
Água e óleo.
Galerinha! Á água não se mistura com os óleos. Devido as suas polaridades. Nesse caso:
Á água é uma substância POLAR que não se liga e se mistura ao óleo, que uma substância APOLAR. 
Água
Galerinha! Espero que tenham entendido. Obrigado por estudar mais uma aula.

Profº Weslei.

Briófitas: Hepáticas.

Olá meus queridos alunos! Hoje estudaremos as plantas hepáticas. Boa aula.
Briófitas: Hepáticas.
 Galera! As plantas briófitas dividem- se em 3 filos: Hepatophyta (hepáticas), Anthocerophyta (Antóceros) e Bryophyta (musgos). Nessa aula estudaremos o filo Hepatophyta representada pelas plantas hepáticas.
Plantas hepáticas.
As hepáticas são plantas que vivem geralmente em lugares úmidos, sombreados e água doce.  O grupo de plantas Hepáticas (do grego: hépatos= fígado), tem cerca de 6.000 espécies. Possuem rizoides na qual fixam- se no substrato.
Briófitas: Hepáticas.
 Fotos reais de uma planta hepáticas.
Briófitas: Hepáticas.
 Observe e analise o quadro abaixo.
Briófitas: Hepáticas.
 Galera! As plantas hepáticas é dividida em 2 grupos: hepáticas talosas e hepáticas folhosas. 
Observe o quadro.
Em biologia o termo monoico significa que a planta possui os dois sexos no mesmo ser. Um exemplo é planta representada na foto abaixo. Porém no geral a maioria dar briófitas são dioicas, ou seja, tem o sexo separado.
Briófitas: Hepáticas.
 Reprodução das Hepáticas.
Galerinha! As plantas hepáticas possuem dois mecanismos de reprodução:
Assexuada e sexuada.
Na reprodução assexuada uma região chamada conceptáculo estrutura em forma de vaso que produz o propágulo. Num determinado momento esse propágulo desprende- se do conceptáculo para dar origem a uma nova planta hepática geneticamente igual a genitora (mãe).
Observe no quadro abaixo as estruturas conceptáculo e propágulo.
Briófitas: Hepáticas.


Briófitas: Hepáticas.

Galera! Outra foto real mostrando um planta hepática talosa evidenciando os conceptáculo e no seu interior os propágulos que darão origem ao novo ser geneticamente idêntico a planta mãe. Reprodução essa chamada de assexuada.
Briófitas: Hepáticas.

Observe e analise o quadro.

Briófitas: Hepáticas.

Plantas hepáticas talosas.
Galerinha! Na foto abaixo observamos a planta hepática talosa. Essa planta é dioica, ou seja, tem o sexo separado. O anterídeo é o órgão masculino que produz gametas o anterozoide ( célula sexual, célula reprodutora).
Já o arquegônio é o órgão feminino que produz gametas a oosfera ( célula sexual, célula reprodutora).
Briófitas: Hepáticas.
A fecundação ocorre justamente quando o anterozoide da planta masculina fecunda a oosfera da planta feminina, originando um novo ser geneticamente diferente. A essa reprodução da-se o nome de reprodução sexuada.
Observe o quadro abaixo.
Briófitas: Hepáticas.

Plantas hepáticas talosas masculinas.
Briófitas: Hepáticas.
 Plantas hepáticas talosas femininas. 
Briófitas: Hepáticas.

Galera! Obrigado por estudar mais uma aula. Espero que tenham gostado. Até a próxima aula.

Profº Weslei.













Briófitas: Introdução

Olá meus queridos alunos! Antes de estudar essa aula, eu aconselho vocês estudarem a aula desse blog sobre,
 Plantas: Noções básicas. Hoje estudaremos as características das briófitas. Boa aula.
Briófitas: Introdução
As briófitas são plantas mais antigas, vivem em ambientes úmidos e sombreados, como barrancos e troncos de árvores. As briófitas não estão confinadas apenas em ambientes úmidos e secos. É possível encontra- las em desertos, regiões de seca e quentes e até mesmo em regiões muito frias, como o Ártico e a Antártica. Elas não passam de 5 cm de altura. Apesar de haver na  Nova Zelândia uma briófita com 50 cm. Mas em geral elas são bem pequenas. As briófitas não tem raízes, caule, folhas, sementes e nem frutos. Elas tem filoides que parecem uma folhas, cauloides que parecem um caule e rizoides que parece uma raiz. As briófitas também não tem vasos condutores de seiva bruta e de seiva elaborada.
Briófitas: Introdução
As briófitas são plantas que apresentam características de transição do ambiente aquático para o ambiente terrestre. No ambientes terrestre, essas plantas enfrentam problemas, como por exemplo, a redução de quantidade água disponível. E a perda d' água por meio de transpiração intensa.
Briófitas: Introdução
Galera! Observe e analise o quadro sobre as características das briófitas.
Briófitas: Introdução
Galerinha! As briófitas são classificadas como plantas criptógamas, porque suas estruturas reprodutivas são escondidas ou pouco visíveis.
São avasculares, porque não tem xilema e floema que são vasos condutores de seiva bruta e seiva elaborada.
Gametófito é dominante, porque produz gametas que dão origem ao esporófito.
As briófitas não tem: raiz, folhas e caule. Tem estruturas análogas que são: rizoide, filoide e cauloide.

Briófitas: Introdução
Galerinha! No ambiente terrestre as plantas perdem muita água por meio de transpiração. E para isso as plantas possuem mecanismos para evitar a desidratação, como por exemplo, os estômatos. Já as briófitas possuem outros mecanismos para evitar a perda d' água, como por exemplo a cutícula e os poros que são estruturas análogas aos estômatos. Porém a cutícula e os poros não são o suficiente para evitar a perda intensa de água pela transpiração.
Briófitas: Introdução
Características da reprodução das briófitas.
Briófitas: Introdução

Galera! As plantas são dividas basicamente em 2 grupos:
Criptógamas:  As Briófitas e Pteridófitas.
Fanerógamas: As Gimnospermas e Angiospermas.
Briófitas: Introdução
As briófitas são grupos de plantas que se dividem em 3 filos:
 Musgos, Hepáticas e Antóceros. 
Resumindo: Musgos, Hepáticas e Antóceros, são plantas que pertencem ao grupo das briófitas.
Briófitas: Introdução
Briófitas: Introdução
Galera! Espero que tenham gostado. Obrigado por estudar mais uma aula. Até a próxima.

Pofº Weslei

Rochas

Olá meus queridos alunos! Hoje estudaremos as rochas. Boa aula.
Rochas
Galerinha! Petrologia, é uma ciência que estuda as rochas.
Petrologia, vem do grego pretos (rocha) + logos (conhecimento).
Rochas
 Galera! O que são rochas?
Rochas são agregados sólidos que ocorrem de forma natural. Esse agregado sólido é constituído por um ou mais minerais, ou seja, as rochas são aglomerados sólidos formados por minerais.
Observe e analise a imagem abaixo.
Rochas

Observação: Geologia é a ciência que estuda a Terra. E dentro da Geologia encontramos uma outra ciência, a petrologia,  que estuda as rochas.
Rochas

Rochas

Na natureza encontramos basicamente 3 tipos de rochas: As rochas magmáticas, sedimentares e metamórficas. Observe e analise o desenho abaixo.
Clique na imagem para visualiza- la melhor.
Rochas

Rochas
Rochas Magmáticas.

As rochas magmáticas ou rochas ígneas são formadas pelo processo de resfriamento e solidificação do magma. As rochas magmáticas são classificadas de acordo com o tipo de resfriamento.Ex:
O magma é uma rocha derretida que esta no interior da Terra. E é expelida pelo vulcão. Ao ser expelida pela erupção vulcânica, esse magma passa a se chamar de lava. Essa lava ao escorrer pelo vulcão chega a crosta terrestre e começa a esfriar- se e formara a rocha magmática vulcânica ou extrusiva, porque se formou na crosta terrestre.Quando o magma esfria- se no interior da crosta terrestre forma- se a rocha magmática plutônica ou intrusiva, porque formou- se no interior da crosta terrestre.
Galera! A palavra arrefecimento significa resfriamento, perda de temperatura e calor.
Observe o quadro abaixo.
Rochas


Galerinha! Quando o magma sofre o arrefecimento lento, no interior da Terra, isso facilita o crescimento de cristais, minerais (quartzo, feldspato e mica). Como por exemplo o granito. O granito é uma rocha magmática intrusiva ou plutônica porque formou- se pelo processo de resfriamento lento no interior da crosta terrestre. E seus minerais são bastante observáveis a olho nu. 
Observe e analise os quadros abaixo:
Rochas

Rochas
 Galera! Agora quando magma sofre o arrefecimento rápido, na crosta terrestre, isso dificulta o crescimento de cristais, minerais (quartzo, feldspato e mica). Como por exemplo o basalto. O basalto é uma rocha magmática extrusiva ou vulcânica, porque formou- se pelo processo de resfriamento rápido na crosta terrestre. 
Observe e analise o quadro abaixo. 
Rochas
 Observe a diferença das duas rochas magmáticas. Elas se formaram de acordo com o arrefecimento.
Rochas
 Galerinha! Entenderam? O granito é uma rocha magmática intrusiva, porque formou- se dentro da crosta terrestre por um processo de resfriamento lento. E isso permitiu o crescimento de minerais visíveis a olho nu. Já o basalto é uma rocha magmática extrusiva porque formou- se sobre a crosta terrestre por um processo de resfriamento rápido.
Compare mais uma vez os dois tipos de rochas magmáticas. 
Granito (rocha magmática intrusiva). Minerais bem desenvolvidos e visíveis a olho nu.
Basalto (rocha magmática extrusiva). Minerais não se desenvolveram.
Rochas

Rochas

Galera! Um outro exemplo de rochas magmática é a pedra- pomes. Ela é formada a partir da solidificação da espuma da lava vulcânica.
Observe e analise os quadros abaixo. 
Rochas

 Foto real de uma pedra- pomes, formada pelo resfriamento e solidificação da espuma da lava vulcânica.
Rochas

Rochas

Galerinha! As rochas sedimentares são formadas a partir do intemperismo (desgaste, desintegração e decomposição) das rochas magmáticas. Ex:
A rocha magmática sofreu uma meteorização, ou seja, um desgaste. E desse desgaste formou- se grãos de rochas magmáticas. Esses grãos são sedimentos e serão transportados pelos ventos e águas e depositados em algum lugar. Após anos esses sedimentos de grãos podem se acumular em um determinado local e sofrer  uma compactação e pressão e formar uma camada de rocha sedimentar.
Observe as setas do esquema abaixo.
Rochas
Exemplos de rochas sedimentares. 

Rochas
 Estratificação são camadas de rochas sedimentares compactadas. Cada camada sedimentar possui uma idade diferente. E a partir desses dados é possível estudar a idade dessas rochas. E é, nas rochas sedimentares onde encontramos os fósseis.
Rochas 
 Outro exemplo de formação das camadas, das rochas sedimentares. 
Rochas
 Exemplos de rochas sedimentares.
Rochas
 Rochas metamórficas.
Galerinha! Só pelo nome é possível arriscar de como se formam essas rochas. O que te lembra metamórfica? Se você respondeu metamorfose, acertou. As rochas metamórficas são formadas pela metamorfose (transformação) de rochas magmáticas ou rochas sedimentares. 

Rochas
 Galerinha! Uma rocha metamórfica forma- se a partir de certas condições ambientais, podendo sofrer uma pressão intensa e elevadas temperaturas, alterando sua composição atômica e formando outras composições minerais. 
Observe o quadro.
Rochas


Exemplos de metamorfismo.

Rochas
  
Um rocha magmática sofre transformação e transforma- se em uma rocha metamórfica.


Uma rocha sedimentar sofre transformação e transforma- se me rocha metamórfica.
Rochas
Exemplos de rochas metamórficas.

Rochas

Rochas
Galerinha! Agora observe e analise o quadro abaixo explicando e reforçando as diferenças entre os 3 tipos de rochas estudados nessa aula.

Rochas

Galera! Espero que tenham gostado. Obrigado por estudar mais uma aula. Até a próxima.

Profº Weslei